A aparente onda bolsonarista

Escrevo esse texto enquanto assisto ao debate presidencial da TV Globo. Mas é preciso falar do ausente. Dele, de Jair Bolsonaro e da aparente onda bolsonarista da semana pré-eleição.

Os dois principais institutos de pesquisa do país (Datafolha e Ibope) divulgaram pesquisas nos dias 03/10 e 04/10 e mostram um crescimento acentuado do deputado fluminense. No Ibope do dia 03, Bolsonaro tem 38% dos votos válidos, enquanto o Datafolha apontou que o candidato do PSL tem 39% (os votos válidos são os que o Tribunal Superior Eleitoral conta, excluindo os brancos e nulos).

Caso queira ver a pesquisa Ibope, clique aqui

Para ver o panorama feito pelo Datafolha, clique aqui

É interessante apontar que não teve nenhum fato novo durante esses dias que justifiquem o crescimento de Bolsonaro. Nem mesmo as manifestações #EleNão, #EleSim podem ser vistos como um fato novo. Muito menos a liberação de partes da delação premiada de Antônio Palocci (a pesquisa Ibope de segunda foi feita antes dessa divulgação).

O que explica esse crescimento?

Uma das hipóteses mais prováveis é que o sentimento anti-petismo esteja falando mais alto. Principalmente para os moradores da região Sudeste e Sul, onde a rejeição ao PT é mais latente. Parece que o crescimento bolsonarista foi uma reação a subida de Haddad. Até porque as polêmicas que envolvem a campanha de Bolsonaro como as falas do general Mourão, candidato a vice, a nova CPMF de Paulo Guedes não tiveram reflexo nas intenções de voto. Parece que a entrevista de José Dirceu, ex-ministro da Fazenda e homem forte do PT, teve mais efeitos que toda a polêmica envolvendo a campanha bolsonarista.

Enquanto isso, mesmo com as polêmicas e afastado da campanha nas ruas (em virtude da recuperação após o atentado), Jair Bolsonaro tem tentado se apresentar como um candidato mais calmo e centrado, fazendo um contra-ponto daquela personalidade explosiva que ficou conhecida em vários vídeos. Isso ficou evidente na entrevista a Record TV.

Para ler o texto sobre o atentado de Bolsonaro, clique aqui

O fato é que a aparente onda bolsonarista está agitando a  reta final da campanha e ela deve ser confirmada quando tanto o Datafolha quanto o Ibope divulgarão novas pesquisas de intenção de voto, no sábado, véspera da votação. Nelas, veremos se as chances de vitória no primeiro turno são grandes ou não.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *